O que agrada a Deus?
  • Compartilhe:

Padre Ezequiel Dal Pozzo
contato@padreezequiel.com.br

O que se deve fazer para agradar a Deus? A grande maioria das pessoas não pensa muito nisso. O que nós pensamos é de agradar o nosso ego. O ego dentro de nós é uma força muito grande, que tem desejos, tem vontade, tem propósitos, tem ansiedades… e nós pensamos em agradar mais a ele do que a Deus. O crescimento humano seria um pouco acalmar o ego, menos as nossas vontades e os nossos desejos e paixões, e pensar mais em agradar a Deus. Mas o que agrada a Deus? E de fato o agradar a Deus vai fazer melhor pra mim, porque quando eu tento agradar o ego ele fica sempre insatisfeito, ele se agrada e depois se insatisfaz de novo. E seu eu busco agradar a Deus, fico de fato satisfeito.

Os antigos monges do deserto diziam: “preste atenção no que te digo para agradar a Deus, não importa quem tu sejas, tem sempre Deus diante dos olhos”. A primeira coisa, não importa quem tu sejas, mas tenha no horizonte Deus, pensa Nele, acolhe Ele, te entrega a Ele. A segunda, não importa o que faças, faze de acordo com a Sagrada Escritura, ou seja, vive de acordo com o bem, com o amor, com a compaixão, com a solidariedade. Pensa no serviço, não importa o que tu faças, não é isso ou aquilo, mas que seja de acordo com amor. E a terceira coisa, não importa o lugar em que vivas, não o deixe facilmente, ou seja, passa a gostar daquilo que tu vives, daquilo que tu fazes, de onde tu habitas, com quem tu habitas. Isso te deixará mais feliz e te fará, também, agradar a Deus.

E como uma última dica, a compaixão é a nossa capacidade de visitar a outra pessoa lá no lugar onde ela se encontra fraca, vulnerável, solitária e abandonada. Veja que não é visitar a casa, mas visitar o seu coração da pessoa. Quando você consegue, com a sua vida, visitar dentro do coração de alguém, aquilo que é fraco, vulnerável, solitário e abandonado, então você está tendo compaixão, você está sendo importante para essa pessoa. E isso agrada a Deus. Pense e reflita sobre o que você leu aqui.

Jornal Nova Fronteira