Cinco minicursos abrem a programação do 10º Congresso Brasileiro do Algodão

Publicada em 10/06/2015 às 14:24

Marília Moreira (MTb 11.381)

Com uma programação que inclui desde plenárias sobre o mercado mundial de algodão e tendências econômicas, até mesas redondas para discussão de temas de interesse pontual do setor, o 10º Congresso Brasileiro do Algodão, que será promovido de 1º a 4 de setembro, em Foz do Iguaçu, terá início com a realização simultânea de cinco minicursos, no período das 14h às 18h.

Destinados a gerentes, administradores, engenheiros agrônomos e agrícolas e a consultores, os minicursos abordam assuntos bem específicos da prática do dia a dia do produtor de algodão, como controle biológico de pragas; manejo de áreas infestadas por nematoides; planejamento e manejo de lavouras transgênicas nos sistemas de produção, e fatores que afetam a qualidade das fibras do algodão. Os interessados em participar devem optar pelo minicurso de preferência no ato da inscrição, pois as vagas são limitadas.

Cada minicurso tem um coordenador e entre três a quatro especialistas que apresentarão aspectos diversos do tema central. Todos os profissionais foram selecionados pela Comissão Científica do congresso, que é coordenada pelo Dr. Eleusio Freire, engenheiro agrônomo, mestre em Agronomia e doutor em Genética e Melhoramento de Plantas.

Promovido pela Abrapa – Associação Brasileira dos Produtores de Algodão, o 10º CBA tem como tema central “Qualidade, Caminho para a Competitividade” e deverá reunir cerca de 1.200 participantes, entre produtores, pesquisadores, agrônomos, consultores, fornecedores de máquinas, implementos e serviços e demais profissionais do agronegócio.  O evento será realizado no centro de convenções do resort Recanto das Cataratas. Inscrições e mais informações no site: http://www.congressodoalgodao.com.br/index.php#

Programação dos Minicursos – 01/09/2015

Minicurso Sala 1 – Fatores que afetam a Qualidade das fibras do algodão.

Coordenador: Sergio Dutra – IMAMT.

Público-alvo:  gerentes, engenheiros Agrônomos e consultores.

Objetivo: Análise dos fatores que afetam a qualidade das fibras do algodão no cerrado, incluindo desde os climáticos, fisiológicos, de manejo, da colheita e do beneficiamento do algodão.

Palestrantes:

Sergio Dutra – IMAMT – Apresentará o  conceito de qualidade da fibra de algodão e o Programa de Qualidade de Fibra do Mato Grosso.

– Dr. Jean Louis Belot, do IMAMT  –  Qualidade de fibra: Critérios principais de qualidade, fatores da qualidade com maior incidência sobre o preço, monitoramento da qualidade do algodão em MT – variedades, épocas de plantio, etc.

– Dr. Ederaldo José Chiavegato, da Esalq/USP – Abordará todos os fatores climáticos, fisiológicos e de manejo da lavoura que afetam a qualidade de fibra.

– Dr. Renildo Mion, da UFMT, Campus de Rondonópolis, MT – Discorrerá sobre a Preservação da qualidade da fibra durante a Colheita mecanizada do algodão.

– Dedson Santos, do IMA-MT – Abordará a Qualidade no Beneficiamento do algodão e a segurança nas algodoeiras.

Minicurso Sala 2 – Manejo de áreas  infestadas por nematoides.

Coordenador: Mario Massayuk Inomoto – ESALQ/USP – Piracicaba/SP

Público-Alvo: engenheiros agrícolas e consultores

Objetivo: Atualização sobre a importância, prejuízos e tecnologias para a produção sustentável em áreas  infestadas por nematoides no cerrado.

Palestrantes:

– Dr. Mario Massayuk Inomoto – ESALQ/USP – Apresentará uma análise sobre a importância dos nematoides e áreas infestadas no Brasil; bem como as tecnologias para seu controle.

– Dr. Rafael Galbieri, pesquisador – IMA-MT – Apresentará o diagnóstico da infestação atual com nematoides e as tecnologias para o seu controle no Estado de Mato Grosso.

– Nilvo Altmann, consultor da Sigma AC –  Apresentará as tecnologias de manejo mais eficientes para o controle e prevenção da disseminação dos nematoides no cerrado.

– Geliane Cardoso Ribeiro, pesquisadora da Circulo Verde – Apresentará os resultados das melhores tecnologias químicas, culturais e biológicas para o controle de nematoides em pivôs no cerrado da Bahia.

Minicurso Sala 3 – Planejamento e manejo de lavouras transgênicas nos sistemas de produção.

Coordenador: Wanderley Oishi

Público-alvo: Minicurso destinado a gerentes, administradores, engenheiros agrônomos e consultores.

Objetivo: Serão discutidos os aspectos mais importantes do planejamento e do manejo das lavouras nas fazendas que utilizam sistemas de produção com o algodão-soja-milho transgênicos no cerrado do Brasil.

Palestrantes:

– Milton Ide, da Consultoria Quality Cotton/GBCA, de Luiz Eduardo Magalhães – Discorrerá sobre os aspectos mais importantes a considerar no planejamento das fazendas e das lavouras transgênicas nos sistemas de produção do cerrado.

– Wanderley Oishi, da Consultoria Quality Cotton, de Uberlândia – Apresentará as melhores tecnologias e práticas para o manejo de lavouras transgênicas nos sistemas de produção do cerrado.

– Josué Grah, da SLC Agrícola – Apresentará as melhores tecnologias para o manejo de lavouras transgênicas em grandes fazendas do cerrado brasileiro.

Minicurso Sala 4 – Análise e melhoria da qualidade operacional nas fazendas e algodoeiras

Coordenador: Eleusio Curvelo Freire

Público-Alvo: novos agrônomos e gerentes de fazendas.

Objetivo: serão discutidos os principais problemas da produção e do beneficiamento do algodão no cerrado do Brasil, bem como as melhores alternativas para a melhoria da produção brasileira do algodão.

Palestrantes:

– Dr. Eleusio Curvelo Freire, da Cotton Consultoria/GBCA – Fará uma análise da produção brasileira e dos principais gargalos a serem considerados para a melhoria da rentabilidade da cultura.

– Geraldo Pereira, da Equipe Consultoria de Barreiras/BA – Abordará  os problemas operacionais e as melhorias que precisam ser implementadas nas fazendas para garantir a eficiência e produtividade do algodão.

– Amandio Pires Junior, do IMA-MT – Explicará quais as exigências legais para a melhoria da segurança dos trabalhadores e aspectos relacionados à prevenção de Incêndios nas algodoeiras.

Minicurso Sala 5 – Realismo, eficácia e uso de controle biológico das pragas do algodoeiro Brasileiro.

Coordenador: Carlos Marcelo Silveira Soares – IMA-MT – Brasília/DF

Público-alvo: gerentes, engenheiros agrônomos e consultores

Objetivo: Atualização sobre as tecnologias de controle biológico, em uso no mundo e no Brasil, que podem ser incorporados aos sistemas de produção dos cerrados como estratégias para redução do uso de defensivos químicos.

Palestrantes:

– Dra. Rose Gomes Monnerat Solon de Pontes – Embrapa Recursos Genéticos – Apresentará uma visão geral das tecnologias e das perspectivas para incorporação do controle biológico nos sistemas de produção que incluem as culturas do algodão, soja e milho.

– Dr. Carlos Marcelo Silveira Soares- IMA-MT – Explanará sobre como o controle biológico com bactérias Bt, vírus e a micro-vespa Thichograma pode ser incorporado nos sistemas de produção do cerrado.

– Dr. Marco Antonio Tamai – Uneb – Fará um relato das experiências sobre o controle biológico em desenvolvimento no cerrado da Bahia.

0 Comentários

Deixe o seu comentário!

JORNAL NOVA FRONTEIRA
Rua 19 de maio, 103 - Centro - BARREIRAS - BAHIA
Fone: (0xx77) 3611-8811 Email: comercial@jornalnovafronteira.com.br