O Sistema Plantio Direto e a Segurança Alimentar
  • Compartilhe:

Da redação FEBRAPDP

Durante o 19º Encontro Nacional do Sistema Plantio Direto, que acontece entre os dias 9 e 11 de julho, em Luís Eduardo Magalhães, BA, a temática Sistema Plantio Direto e a Segurança Alimentar vai ocupar lugar de destaque. Contará com um painel inteiro para tratar do assunto sobre diferentes óticas. Três palestras irão abrir o primeiro bloco do Painel 3. São elas: Evolução do Sistema Plantio Direto na pequena propriedade, proferida pelo pesquisador Leandro do Prado Wildner, da Empresa de Pesquisa Agropecuária e de Extensão Rural de Santa Catarina – Epagri; Estratégias no sistema de produção e a agricultura na segurança alimentar, palestra que será conduzida por Luiz Carlos Bergamaschi, presidente da Associação Baiana de Produtores de Algodão – Abapa, e Sistemas de produção de cultivos alternativos no oeste baiano, que será proferida por um representante da Associação de Agricultores e Irrigantes da Bahia – AIBA, ainda a ser confirmado.

Leandro do Prado Wildner, concedeu uma entrevista falando sobre o que será tratado em sua palestra e a importância objetiva do Sistema Plantio Direto na realidade da pequena propriedade e da agricultura familiar. Confira a seguir:

Por que a temática “Evolução do Sistema Plantio Direto na pequena propriedade” é destaque no 19º ENPDP?

Leandro do Prado Wildner: Os pequenos agricultores, também chamados de agricultores familiares, estão presentes em todas as regiões do Brasil, produzem para o mercado a fazem parte de várias cadeias produtivas importantes, como as cadeias dos principais grãos, suínos, aves, leite, hortaliças e frutíferas. Em todas as cadeias produtivas, nas quais o solo é essencial, não importa o tamanho da área cultivada. É necessário manejar o solo dentro dos princípios da agricultura conservacionista, utilizando todas as práticas necessárias para cultivar o solo e mantê-lo produtivo ao longo do tempo, ou seja, cultivar sem degradar. Como nós temos experiências de agricultores familiares que são referências não só para o Brasil, mas para o mundo, é possível e necessário que elas sejam levadas ao conhecimento dos agricultores familiares nos quatro cantos desse país. E a hora chegou para a grande região oeste da Bahia.

Como diretamente essa questão atua de forma prática no manejo e na performance produtiva do agricultor?

Leandro do Prado Wildner: Os princípios do Plantio Direto são adequados para quaisquer tipos de agricultor, qualquer tamanho de propriedade agrícola, qualquer cultura, seja ela anual ou perene, de clima quente ou frio, de porte baixo ou alto, cultivadas em grandes ou pequenas áreas. O Plantio Direto reduz os custos de produção, reduz a penosidade do trabalho, reduz o próprio trabalho, reduz os riscos de contaminação de agricultores e do meio ambiente, mantém ou aumenta a produtividade das culturas, além de todos a efeitos positivos no solo, água, no ar e na biota do próprio solo. Assim, o agricultor pode diversificar a produção e aumentar e tornar a renda da propriedade estável ao longo do tempo.

Quais os principais pontos abordados durante a sua palestra e o que o espectador terá, ao final da exposição dos conteúdos, incorporado aos seus conhecimentos e poderá levar para sua prática diária na lavoura?

Leandro do Prado Wildner: Eu vou mostrar como foi possível a adoção do Plantio Direto pelos agricultores familiares do Sul do Brasil, em especial os de Santa Catarina, e quais as contribuições destes mesmos agricultores para a evolução do Plantio Direto. Hoje, por exemplo, os agricultores catarinenses são protagonistas e referências técnicas no Sistema Plantio Direto de Hortaliças (SPDH), introduziram vários princípios do Plantio Direto, que inclusive estão sendo usados no Plantio Direto de grãos, tais como o Plantio Direto no verde, a adubação de acordo com a demanda diária de nutrientes, os sinais de plantas, entre outras contribuições.

Tomada de decisões

De acordo com Luiz Carlos Bergamaschi, a agricultura tem evoluído a longo tempo utilizando os conhecimentos disponíveis em cada momento, permitindo com uso das mais diversas tecnologias o fornecimento de alimentos para a população em quantidade e a preços mais acessível. “A produção agrícola é resultado de uma equação com diversos fatores. Todos estes fatores como, insumos, máquinas, tecnologias, recursos humanos precisam ser otimizados e a disposição para os produtores tanto para aumentar a produtividade das culturas ou para mitigar riscos a produção, permitindo também a viabilidade econômica do sistema produtivo do agricultor”, complementa.
A respeito de sua palestra, Bergamaschi explica que terá uma abordagem sobre a evolução da agricultura tanto mundial como nacional, como chegamos ao momento atual e subsidiar com essas informações a tomada de decisão para planejar ações no presente e no futuro.

Inscrições e associação à FEBRAPDP

Para participar do 19º Encontro Nacional do Sistema Plantio Direto e ter acesso aos benefícios de associado, que incluem descontos nas inscrições, basta associar-se à FEBRAPDP (link também disponível no site de inscrição do evento). Dentre os benefícios de ser um associado estão: o certificado exclusivo de associado FEBRAPDP; acesso ao Portal de eventos, onde você confere a programação completa de todos os eventos da FEBRAPDP que foram realizados e gravados; participação gratuita em Web-Fóruns Amigos da Terra FEBRAPDP com direito a certificado, e descontos exclusivos em eventos organizados e apoiados pela FEBRAPDP.

A realização do 19º ENPDP é da FEBRAPDP, que conta com a parceria da própria ABAPA, da Associação dos Criadores Gado Oeste da Bahia – Acrioeste, Associação de Agricultores e Irrigantes da Bahia – AIBA, da Associação dos Produtores de Sementes dos Estados do Matopiba – Aprosem, da Federação da Agricultura e Pecuária da Bahia – FAEB/SENAR/Sindicatos, da Fundação Bahia, do Governo do Estado da Bahia, do Sindicato dos Produtores Rurais de Barreiras – SPRB, do Sindicato dos Produtores Rurais de Luís Eduardo Magalhães – SPRLEM, da Universidade Federal do Oeste da Bahia – UFOB e da Universidade do Estado da Bahia – UNEB.

Jornal Nova Fronteira