O poder da mente está na consciência

Publicada em 03/02/2015 às 07:50

mente

Por Renilson Freitas

Refletindo sobre o filme Lucy, do diretor Luc Besson, e o que acessei neste ano de 2014 sobre equilíbrio energético, cheguei à conclusão de que não precisamos fazer muito esforço (talvez nenhum) para acessar todo o potencial energético que está disponível no cosmos. Na minha visão, Lucy continua a missão de Neo (personagem principal de Matrix). De uma forma mais realista, ela mostra até onde vai a toca do coelho. Qual nossa missão nesta terra? Como chegamos até aqui? Como ajudaremos o planeta a evoluir? As respostas podem ser encontradas no filme. Para aqueles que não terão a oportunidade de assistir, a responda principal é sentir. Quando aprendermos a sentir, acessaremos todo o resto.

O acelerado crescimento das pequenas distrações nos afastaram de nós mesmos. Passamos muito tempo em frente à TV, na internet e nos diversos canais tecnológicos que nos chamam a atenção para tudo, menos para nós mesmos. Lucy, quando começa a perceber as mudanças que ocorreram na sua capacidade cerebral relata à mãe que pode sentir o mundo em detalhes: o espaço, o ar, as pessoas, a gravidade, a rotação da terra, o sangue nas veias, as partes mais profundas da memória. Num mergulho interno, ela passa a compreender a si mesma, consequentemente passa a conhecer o todo.

Meditar é preciso. Nada está fora. O processo de autoconhecimento desagua numa inexorável paz de espirito que transforma o mundo externo, aos olhos do observador iluminado. O filme também relaciona o tempo com a vibração. A vibração e o tempo são diretamente proporcionais, ou seja, quanto maior a vibração maior será a velocidade do tempo. Acredito que por isso nós achamos que a cada ano os dias estão passando numa velocidade maior. O mundo está em plena evolução.

Por isso é necessário (se quiser acompanhar a evolução do planeta) estar em sintonia com o processo evolutivo. De forma inconsciente podemos fazê-lo, mas se pudermos ampliar a consciência poderemos facilitar o processo. E como disse no início deste artigo, não precisamos fazer esforço algum. Basta sentir a energia fluir através do nosso corpo, estar em sintonia com os elementos da natureza, que nos fornecem diariamente as energias de que necessitamos. A partir do momento em que aprendemos a sentir a energia podemos também, conscientemente, movimentá-la aumentando a nossa vibração.

A receita é simples. A sábia natureza sempre busca o equilíbrio em tudo. Se mantemos nossa energia girando em alta vibração doamos energia o tempo todo, dessa forma captamos mais energia para nós e, ao mesmo tempo, auxiliamos alguém que estiver necessitando de energia num determinado momento. E assim vamos cumprindo nosso papel nessa terra.

Amor e luz

0 Comentários

Deixe o seu comentário!

JORNAL NOVA FRONTEIRA
Rua 19 de maio, 103 - Centro - BARREIRAS - BAHIA
Fone: (0xx77) 3611-8811 Email: comercial@jornalnovafronteira.com.br