Dia Nacional de Combate e Prevenção á Hanseníase é lembrado com palestras em São Desidério

Publicada em 01/02/2017 às 14:18

Texto e Fotos: Diego Souza

O dia 30 de janeiro é dedicado nacionalmente à prevenção e combate à hanseníase e para alertar e conscientizar a população sobre os primeiros sintomas, a Secretaria de Saúde promove nesta semana (30/01 a 03/02) uma série de ações preventivas nas unidades de saúde, como a distribuição de material informativo, palestras em salas de espera e atendimento individual.

A ação visa também mobilizar os profissionais da saúde quanto à busca ativa de casos novos. E a manhã desta terça-feira, 31, foi a vez da comunidade assistida pela unidade de saúde Antônio Pereira da Rocha, receber as orientações com a palestra ministrada pela médica clínica-geral, Adelle Nóbrega e a enfermeira, Elisete Barbosa.

A Hanseníase, também conhecida com lepra, morfeia, mal de Hansen ou mal de Lázaro é uma doença infectocontagiosa, causada pelo bacilo Mycobacterium leprae, um parasita intracelular que afeta a pele e os nervos periféricos, em especial os dos olhos, braços e pernas. “A Hanseníase tem cura e se tratada precocemente e de forma adequada, pode evitar as incapacidades e as sequelas. Qualquer mancha na pele ou área com alteração de sensibilidade pode ser hanseníase. Neste caso a pessoa deve procurar uma unidade de saúde”, alertou a clínica geral, Adelle Nóbrega.

Sintomas – Sensação de formigamento, fisgadas ou dormência nas extremidades; manchas brancas ou avermelhadas, geralmente com perda da sensibilidade ao calor, frio, dor e tato; áreas da pele aparentemente normais que têm alteração da sensibilidade e da secreção de suor; caroços e placas em qualquer local do corpo; diminuição da força muscular (dificuldade para segurar objetos).

“A hanseníase tem cura. O tratamento é feito nas unidades de saúde e é gratuito. A cura é mais fácil e rápida quanto mais precoce for o diagnóstico. O tratamento da hanseníase é via oral, constituído pela associação de dois ou três medicamentos e é denominado poliquimioterapia”, orientou a enfermeira, Elisete Barbosa.

Segundo a Drª Adelle Nobrega, o município de São Desidério tem poucos casos. “Mas é importante que se divulgue junto à população os sinais e sintomas da hanseníase e a existência de tratamento e cura, através de todos os meios de comunicação. A prevenção da hanseníase baseia-se no exame dermato-neurológico e aplicação da vacina BCG em todas as pessoas que compartilham o mesmo domicílio com o portador da doença”, assegurou.

0 Comentários

Deixe o seu comentário!

JORNAL NOVA FRONTEIRA
Rua 19 de maio, 103 - Centro - BARREIRAS - BAHIA
Fone: (0xx77) 3611-8811 Email: comercial@jornalnovafronteira.com.br