Seleções abertas têm 1,3 mil vagas em todas as esferas; veja opções

Publicada em 20/04/2016 às 08:17

Fonte Correio da Bahia

Alguns acontecimentos nos últimos meses vêm testando o nível de persistência de quem estuda para concurso público. Primeiro foi o anúncio do governo federal de uma redução de 40% na abertura de novas vagas para o poder Executivo em razão do corte de gastos.

Na última segunda-feira (18), outra má notícia: o cancelamento do processo seletivo do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) com 1.409 vagas para o Censo Agropecuário 2017.

Mesmo diante das dificuldades, emprego público ainda é um sonho para muitos e as vagas em aberto mostram que restam várias oportunidades à espera dos candidatos. Ao todo, são 1.368 vagas em concursos para todos os níveis de formação nas esferas federal, estadual e municipal.

Clic aqui para ampliar

concurso

Foco no objetivo
“É natural que este momento de turbulência desanime os concurseiros”, afirma Carolina Teixeira, coordenadora do preparatório Ponto dos Concursos. Mas, segundo ela, esta é a hora de persistir e não de desistir. Foi o que fez a administradora e ‘concurseira profissional’, Luana Santos, 25 anos.

“Já passei por isso. Estudei vários meses para o concurso da Defensoria Pública da União e ele foi suspenso. Mas continuei a me preparar,  já que tinham matérias em comum com outra seleção para a qual  me inscrevi”, lembra. Aos 18 anos, ela decidiu que queria fazer concurso e tentou conciliar os estudos com a formação superior e o trabalho.

Há um ano, Luana pediu demissão para se dedicar exclusivamente aos concursos. “Você tem que ter em mente que a aprovação pode não ser imediata. Não existe um prazo para passar em concurso. Tem que aprender a não perder a esperança”, diz.

Para os que pensam em desistir da carreira pública, ela aconselha. “Eu diria para elas não perderem as esperanças. Continue estudando e faça sua parte que tudo tem seu momento”.

Novas metas
O engenheiro de produção Erivã Cerqueira, 27 anos, também já passou por uma situação difícil quando viu o  concurso dos seus sonhos cancelado. “Você sente que seu estudo foi em vão, principalmente se estudou assuntos específicos para aquela seleção. Mesmo assim, continuei estudando e não desisti”, revela.

Erivã faz concursos há nove anos e já passou em vários. Agora ele continua se inscrevendo nos que considera melhores. “Atualmente, faço mais pelo salário. Opto pelos de nível superior, mas a depender do cargo e salário, faço também os de nível médio”.

Dica de especialista
As notícias de cancelamento ou adiamento de seleções são boas para quem está focado no estudo. É o que garante o especialista em concursos Valdir Santos. “Isso reduz a concorrência”.

Segundo ele, 80% das pessoas param de fazer concurso pela repercussão que tem esse tipo de notícia. “É o erro mais comum de quem faz concurso, porque não dá para segregar as seleções e limitar suas possibilidades. Não digo para atirar para vários lados, mas atirar muito. Escolher uma área só, mas fazer vários concursos”.

Planejamento autoriza mais duas seleções com 105 vagas
Além dos concursos em andamento, com editais já publicados, pelo menos outras 105 vagas estão previstas para concursos nos próximos meses. Isso porque o Ministério do Planejamento, Orçamento e Gestão (MPOG) autorizou, na segunda-feira (18), dois concursos públicos na área da saúde: Anvisa e Inca. Os cargos são de nível médio e superior.

O concurso da Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) prevê a abertura de 78 vagas para técnico administrativo de nível médio. O outro concurso autorizado terá 27 vagas para o Instituto Nacional de Câncer (Inca).

Há vagas para pesquisador (1), tecnologista (4), analista em ciência e tecnologia (7) e técnico (15). O prazo para publicação de edital dos dois concursos é de até seis meses – 18 de outubro.

0 Comentários

Deixe o seu comentário!

JORNAL NOVA FRONTEIRA
Rua 19 de maio, 103 - Centro - BARREIRAS - BAHIA
Fone: (0xx77) 3611-8811 Email: comercial@jornalnovafronteira.com.br