Em tempos de crise setor de franquias gera mais de 1 milhão de empregos

Publicada em 26/09/2017 às 08:59

Fonte Grupo ATNZO

Já não é novidade que o setor de franquias está na contra mão da crise. Estudos da ABF (Associação Brasileira de Franchising) mostram que o faturamento das franquias espalhadas por todo território nacional foi 151,2 bilhões em 2016 e a projeção de crescimento para esse ano é de 7 a 9%.

Ainda neste estudo, foram computadas 142,6 mil unidades com uma previsão de crescimento de 4 a 5% até o final desse ano. A quem diga que a crise afetou todos os setores econômicos do país, mas não o setor de franquias, que gerou cerca de 1 bi 192 milhões de empregos só no primeiro semestre do ano passado, já indicando um aumento significativo neste ano de 2 a 3% de vagas disponibilizadas.

A região nordeste, que nos anos de 2012 e 2013 tinham contabilizado 72 marcas de franquias, espalhadas em 16 cidades, teve um desempenho surpreendente, crescendo entre 7 a 8%. Outra região que também teve um destaque positivo foi a sudeste que teve um aproveitamento de 71% de redes franqueadoras no seu território.

O estudo também nos mostrou uma visão muito ampla do Brasil com relação a vários segmentos do franchising, como por exemplo a atuação de franquias brasileiras no exterior, que chegou a 138 redes, sendo que 12 exportam e distribuem produtos em mercados estrangeiros, 8 apenas exportam e 4 também possuem unidades no exterior.

A partir desses dados, a ABF organizou um ranking de países com maior número de operações de redes de franquias brasileiras, já que das 138 que citamos acima, 130 possuem algum tipo de operação no exterior em 61 países diferentes.

EUA – 79
Paraguai – 29
Portugal – 26
Bolívia – 14
Colômbia – 13
Argentina/México – 12
Angola/Chile/Uruguai – 11

No ranking de países com maior número de redes de franquias o Brasil fica em 4º lugar, com 3039, perdendo apenas para China (4500), Coréia do Sul (4288) e EUA (3828). Já com relação à quantidade de unidades o Brasil cai para 6ª posição com 142.593.

“O sonho de ter sua marca explorada em outro país deixou de ser um desejo inalcançável para se tornar uma meta palpável. Chega um momento que a procura de empreendedores vizinhos acontece e o Franqueador deve entender todo o processo de internacionalização da marca, incluindo ajustes culturais antes de dar este passo ao desconhecido. Alguns países abrem as portas muito mais facilmente a modelos de negócios e a legislação colabora para que a marca se instale e cresça naturalmente”, explica o diretor do Grupo ATNZO, Lucas Atanazio Vetorasso.

0 Comentários

Deixe o seu comentário!

JORNAL NOVA FRONTEIRA
Rua 19 de maio, 103 - Centro - BARREIRAS - BAHIA
Fone: (0xx77) 3611-8811 Email: comercial@jornalnovafronteira.com.br