Oeste da Bahia: Projeto-piloto da Codevasf promove conservação e recuperação de nascentes em Santana

Publicada em 09/06/2020 às 10:42

Ascom Codesvasf

Em recente visita de avaliação a intervenções de conservação e recuperação de nascentes empreendidas como projeto-piloto no município de Santana (BA), técnicos da 2ª Superintendência da Codevasf em Bom Jesus da Lapa (BA) constataram a eficácia de medidas adotadas na região — baseadas na preservação da vegetação e na contenção de processos erosivos. As ações foram empreendidas há pouco mais de um ano; parte delas encontra-se em fase de estabilização, com retorno da cobertura vegetal após o último período de chuvas — a recente visita de avaliação integra as atividades de monitoramento. O projeto-piloto compreende um grupo de 18 nascentes da sub-bacia do rio Corrente e serve à análise de aspectos técnicos, ambientais, econômicos e culturais associados às medidas.

“A fase de monitoramento é muito importante e não deve ser subestimada. Com essa ação, podemos acompanhar os resultados, fazer comparações e intervir em algo que eventualmente possa sair fora do que foi planejado. Temos muita experiência nessas ações de recuperação de áreas degradadas e um portfólio de sucesso construído ao longo de anos de trabalho com excelência”, afirma Fábio Miranda, diretor da área de revitalização de bacias hidrográficas da Codevasf.

A Companhia instalou na região 43 bacias de captação e infiltração de água das chuvas (barraginhas), implantou 3,2 mil metros de cercas, readequou 1,9 mil metros de estradas e construiu cinco quilômetros de terraços e um bebedouro comunitário para animais. Também foram realizadas ações de educação ambiental e recomposição da vegetação. Os investimentos somaram R$ 196 mil. A população da região, beneficiada pelas medidas, é composta por cerca de 26 mil pessoas.

“O aumento da infiltração de água no solo e a contenção de processos erosivos é um trabalho fundamental para a sustentabilidade de qualquer projeto de desenvolvimento. É necessário que haja disponibilidade hídrica para abastecimento humano e animal e para atividades produtivas de qualquer natureza. A Codevasf trabalha com uma concepção de desenvolvimento abrangente e de longo prazo”, afirma Harley Nascimento, superintende na 2ª Superintendência Regional da Codevasf — sediada em Bom Jesus da Lapa (BA).

Destaque entre as intervenções da Codevasf, as chamadas barraginhas são bacias escavadas no terreno que interceptam a água das enxurradas e permitem sua acumulação e infiltração no solo — isso tem como consequência a recarga de lençóis freáticos e o aumento da disponibilidade hídrica na região. Essas estruturas são especialmente importantes em áreas com pouca cobertura vegetal, onde é baixa a taxa de infiltração da água no solo e alta a velocidade de escoamento superficial da água das chuvas.

Os terraços, por sua vez, são secções realizados no terreno em sentido perpendicular ao da declividade do solo. Os resultados obtidos com essas intervenções também são a retenção das enxurradas e a infiltração da água no solo. Barraginhas e terraços operam em conjunto para reduzir a velocidade e o volume das enxurradas, com consequente contenção do processo que leva à erosão e ao empobrecimento do solo e retenção de sedimentos que assoreiam rios e nascentes — ao mesmo tempo, eleva-se a umidade do terreno e a oferta de água na superfície.

0 Comentários

Deixe o seu comentário!

JORNAL NOVA FRONTEIRA
Rua 19 de maio, 103 - Centro - BARREIRAS - BAHIA
Fone: (0xx77) 3611-8811 Email: comercial@jornalnovafronteira.com.br