Ceasa: O vale está sendo preterido mais uma vez

Publicada em 08/09/2015 às 10:51

ceasa

Eduardo Lena | Fotos Ceasa Brasília/DF

Mais uma vez a cidade de Barreiras está sendo preterida e poderá perder um importante empreendimento estatal ou de capital misto que poderia consolidar ainda mais a cidade como pólo regional. Durante a visita da ministra da agricultura, Kátia Abreu, na última edição da Bahia Farm Show, realizada em maio deste ano, o prefeito de Luís Eduardo Magalhães, Humberto Santa Cruz, solicitou a instalação da Ceasa no município e recebeu de imediato o pedido da ministra para adquirir o terreno que o Ministério de Agricultura providenciaria a construção do Centro de Abastecimento do Oeste da Bahia naquela cidade.

Nada contra Luís Eduardo Magalhães, mas no quesito hortifrutigranjeiros, o normal é que o Ceasa fosse instalado no vale em função da localização geográfica, do entroncamento rodoviário existente e dos projetos de irrigação da Companhia de Desenvolvimento dos Vales dos Rios Parnaíba e São Francisco (Codevasf) nos municípios de Barreiras, Riachão das Neves e São Desidério. No total, os projetos Barreiras Norte (2.100ha), Nupeba (3.000ha), Riacho Grande (1.600 ha) e São Desidério/Barreiras Sul (2.500ha) perfazem mais de 9 mil hectares irrigados que poderiam facilmente abastecer a Ceasa e serem comercializados não só os municípios do Oeste da Bahia, mas também do Sul do Piauí, Chapada Diamantina, Tocantins e Norte de Minas.

ceasa

As Ceasas surgiram no Brasil no final da década de 1960, quando o Governo Federal identificou um grande estrangulamento no sistema de comercialização de hortifrutigranjeiros no país e a instalação de uma unidade no vale poderia ser a redenção final desses projetos de irrigação que passam por percalços devido às dificuldades que os produtores têm em comercializar suas produções ou mesmo levarem para a Ceasa de Brasília/DF, distante 660 de Barreiras, sendo obrigados a disponibilizar suas produções para intermediários.

Ademais, os agricultores familiares dos projetos de reforma agrária poderiam ser definitivamente introduzidos na cadeia produtiva de alimentos. No vale existem vários projetos de reforma agrária, inclusive o maior do América Latina está fincado no vizinho município de Angical e tem mais de 86 mil hectares.

Agora o que se questiona no caso, é o que nossos representantes, prefeitos, vereadores, deputados e empresários dos municípios do vale estão fazendo para reverter a situação. Ainda dá tempo para convencer a ministra do erro que será cometido caso o Ceasa não seja instalado no vale.

9 Comentários

  1. Marcos disse:

    Dá pra perceber a fraqueza política que se tem em Barreiras… Humberto SOLICITOU a instalação da Ceasa lá… Portanto correu atrás, e só quem corre atrás é que consegue… e enquanto lá em LEM eles correrem atrás de benefícios que envolvem não só a cidade mais toda região, e os políticos incompetentes de Barreiras continuarem inertes e cruzam os braços para ver a cidade perder cada vez mais espaço para LEM. Faz dó ver Barreiras definhar, a cidade parece que não tem Prefeito, nem representante…
    …Vai ser o cúmulo do absurdo a produção de hortifrutigranjeiros produzido aqui no vale (Barreiras e proximidades) ir para LEM para ser comercializado, e depois voltar para Barreiras com os comerciantes daqui que foram comprar lá.. putz

  2. Vinicius Lena disse:

    A intalação de uma CEASA, se não for em Barreiras é um erro crasso de avaliação, de economia, de logítica e de planejamento. Aliás como tudo neste País chamado Brasil. As CEASAS foram criadas a partir de 1960 quando o Governo Federal verificou o grande estrangulamento que havia, principalmente nas regiões grandes produtoras de FRUTA E HORTALIÇAS, no sistema de comercialização desses produtos, tendo na ocasião, o Governo recorrido à FAO, orgão das Nações Unidas para a alimentqação e Agricultura correlata.. E este organismo recomenda que o principal item para instalar-se uma CEASA é a produção, depois vem a distribuição. Portanto é recomendável que haja um planejamento antes de qualquer coisa. Com a palavra nossos representantes políticos!

  3. Silvio Lopes disse:

    Se vocês Barreirenses continuarem errando na escolha de um gestor para a cidade certamente continuarão perdendo empreendimentos importantes para LEM.

  4. Cícero Tavares germano disse:

    É lastimável ver a cidade que amamos a cada dia perder espaço por falta de políticos comprometidos.
    Quem sabe importar o Prefeito de Luis Eduardo ao menos para temporariamente para com esta evasão de desenvolvimento para a outra cidade.
    Creio que não irá demorar a perder o aeroporto!

  5. Fernando Brasil disse:

    CADÊ O PREFEITO DE BARREIRAS EXISTE PREFEITO NESSA CIDADE?
    SE EXISTE DEVE LUTAR POR ELA

  6. Marcio Ferreira disse:

    Não faz sentido, se não instalar em Barreiras, é sem lógico, quem mora em Formosa, Baianopolis, São Desiderio, Cristopolis, Riachão, etc, teriam que deslocar até o Mimoso, mais 90km? é uma falta de respeito e de bom senso geográfico. Esse é o governo da PTzada.

  7. Martins disse:

    É a política de novo atrapalhado os interesses do povo. Onde está localizado o principal segmento do hortifrutigranjeiro da região oeste? Com ceerteza, arreiras, São Desidério, Riachao das Neves e Angical. Segundo pesquisas idôneas, a população de influência da região de Barreiras está em torno de 800.000 habitantes, ou seja mais de 5 vezes a do municipio vizinho. Então, uma pessoa que more em Ibotirama, Corrente do Piaui e Formosa terão que, obrigatóriamente passar por Barreiras e se deslocar para Luis Eduardo, a fim de adquirir ou vender seus produtos. Pelo que sabemos, todos os órgãos essenciais, como Justiça Federal, Justiça do Trabalho, Câmara da Justiça do Oeste, Hospital Regional entre outros, se encontram em Barreiras. Onde está a lógica e o bom senso????

  8. Eduardo Lena disse:

    Saulo Pedrosa fez o pleito em seu segundo mandato. Era para ser construído no terreno do antigo Fribasa, atual Atacadão, mas o débito do falido frigorífico com instituições financeiras inviabilizou o local. Ademais, faltou força política de Saulo, pois estava com o governo desacreditado devido aos erros de avaliação e atitudes do gestor para com os concursados da época de Tonhão. Aquela briga desestabilizou o governo de Saulo.

  9. Antonio grespan disse:

    Há pelo menos alguma solicitação anterior para que seja instalado em Barreiras?

Deixe o seu comentário!

JORNAL NOVA FRONTEIRA
Rua 19 de maio, 103 - Centro - BARREIRAS - BAHIA
Fone: (0xx77) 3611-8811 Email: comercial@jornalnovafronteira.com.br