Ação na Justiça e morosidade do Judiciário obrigam Sindsemb a reduzir horário de atendimento

Publicada em 10/11/2016 às 14:48

Da redação JornalNF

O Sindicato dos Servidores Municipais de Barreiras (Sindsemb), reuniu a imprensa barreirense para comunicar que a partir da próxima semana o atendimento aos associados estará restrito de segunda a quarta, no período da manhã, somente para protocolos no atendimento jurídico. Em pronunciamento, a presidente do Sindsemb, Carmélia da Mata, disse que essa a maneira que o Sindsemb encontrou para não fechar definitivamente o atendimento no órgão.

Durante a coletiva foi exposto a situação administrativa/financeira enfrentada pela entidade, após a decisão da juíza titular da Vara do Trabalho de Barreiras que suspendeu a posse da diretoria eleita até julgamento do mérito, em razão de ação movida pelo candidato derrotado, Rogério Tavares, sustentando que as servidoras Carmélia (presidente) e Katiuscia (vice-presidente) não podem presidir o Sindsemb por serem professoras.

sindsemb1

Segundo Bruno Almeida, advogado que representa o jurídico do Sindsemb, Rogério Tavares, apesar de não haver decisão judicial nesse sentido, irresponsavel e erroneamente oficiou o Banco do Brasil e a Caixa Econômica Federal, os quais acabaram bloqueando as contas bancárias do sindicato, o que tem gerado inúmeros transtornos. “Esse bloqueio tem prejudicado diretamente os servidores filiados ao Sindsemb, principalmente, os usuários do Plano de Saúde Unimed, pois devido ao bloqueio das contas, as faturas do plano não estão sendo pagas acarretando a suspensão dos atendimentos”, disse Bruno, mostrando relatório de faturas atrasadas que perfazem o valor de R$ 133.659,15. “É provável que o candidato derrotado não tenha dimensionado o transtorno que sua atitude precipitada e impensada tem causado aos servidores municipais, principalmente àqueles que fazem tratamento de saúde continuado foram de Barreiras”.

sindsemb

De acordo com Carmélia da Mata, essa não é a primeira vez que ações tentam tumultuar a gestão do Sindsemb. “Já enfrentamos outra ação judicial no mandato anterior, e agora novamente, essa liminar que está dificultando o trabalho da associação dos servidores. Estamos de mãos atadas, necessitando repassar o pagamento para Unimed, que atende nossos servidores, e devido essa atitude precipitada do servidor Rogério, estamos nessa situação, com servidores com tratamentos sérios, como câncer, cirurgias e atendimento obstetrício, todos paralisados. Na verdade, ele pensou somente em si, e esqueceu que representamos quase dois mil servidores”, externou a presidente Carmélia.

sindsemb2

Presente na coletiva, a servidora Josenita Barbosa, que trabalha como professora no município, deu seu depoimento sobre como a atitude impensada de Rogério Tavares está lhe prejudicando, inclusive pondo em risco todo um tratamento de saúde que vem realizando em Goiânia para combater um câncer. “Em 2014 eu fui detectada com um câncer no intestino e desde essa época venho fazendo tratamento e acompanhamento em Goiânia e em muitas vezes são solicitados exames que por serem mais específicos da minha doença não são feitos aqui em Barreiras, e agora, após nova revisão, foram solicitados novos exames em decorrência da descoberta de uma metástase em meu pulmão. O problema é que devido ao bloqueio das contas do sindicato, o Unimed suspendeu os serviços oferecido pelo convênio e eu não tenho como arcar com os altos custos desses exames”, relatou Josenita, com os olhos marejados, lembrando que já sofre muito com a doença e a impossibilidade de realizar os exames pela Unimed a deixam em pânico.

No final da coletiva a assessoria jurídica esclareceu que todas as medidas estão sendo conduzidas com o mais absoluto cuidado e que aguarda o desbloqueio das contas pela Caixa Econômica Federal e a decisão da Justiça do Trabalho acerca da eleição da entidade.

0 Comentários

Deixe o seu comentário!

JORNAL NOVA FRONTEIRA
Rua 19 de maio, 103 - Centro - BARREIRAS - BAHIA
Fone: (0xx77) 3611-8811 Email: comercial@jornalnovafronteira.com.br