Luís Eduardo Magalhães: Polícia Militar lança Operação Safra 2014

Publicada em 15/10/2014 às 08:25

safra

Por Rassana Milcent | Ascom Aiba | Fotos Eduardo Lena

Com 2,25 milhões de hectares cultivados e mais de mil propriedades rurais, o cerrado baiano inicia uma nova safra com um importante reforço de segurança. A Polícia Militar da Bahia lançou, ontem, 14, em Luís Eduardo Magalhães, Oeste da Bahia, a ‘Operação Safra’. Esta ação levará policiamento ostensivo e preventivo à zona produtora de grãos, evitando os transtornos ocorridos na safra passada, quando aproximadamente 20 propriedades foram invadidas por quadrilhas especializadas em roubo de defensivos, deixando um prejuízo que ultrapassou a casa dos R$15 milhões. A Operação deverá se estender até abril de 2015.

Segundo o subcomandante geral da Polícia Militar, Cel. Carlos Eleutério, a ‘Operação Safra’ seguirá os mesmos moldes de ações já existentes da polícia militar como a ‘Operação Carnaval’ e a ‘Operação Verão’. Com um efetivo de 72 homens e o apoio de seis viaturas e um helicóptero, as patrulhas vão circular na zona rural e fazer um monitoramento das propriedades. Em caso de movimentação estranha próxima às fazendas, as centrais regionais poderão ser acionadas e a patrulha será enviada ao local. “Muito mais do que a perda econômica, cada assalto gera um abalo social e emocional muito grande e é isso que estamos aqui para prevenir”, afirmou o subcomandante.

A realização da ‘Operação Safra’ no Oeste da Bahia faz parte das ações de articulação da Associação de Agricultores e Irrigantes da Bahia (Aiba), Associação Baiana dos Produtores de Algodão (Abapa) e Sindicatos dos Produtores Rurais de Barreiras e Luís Eduardo Magalhães, junto ao governo do estado, para melhoria da segurança na zona rural da região. “No último ano, fomos fortemente atacados e precisávamos fazer alguma coisa. Além do prejuízo material, existe a sensação de insegurança que afeta os produtores, funcionários e investidores na região. O início desta Operação vai trazer mais tranquilidade aos agricultores, pois precisamos ter paz para continuarmos produzindo alimentos, gerando empregos e renda em nossa região”, disse Júlio Cézar Busato, presidente da Aiba.
A “Operação Safra 2014/15” terá início amanhã, quando as patrulhas começarão a circular na zona rural dos 31 municípios que compõem o Oeste da Bahia.

Cartilha – Dentro do conceito de união de esforços, a Aiba, a Abapa e a Polícia Militar elaboraram uma cartilha com medidas preventivas a serem adotadas para maior proteção na zona rural.
Segundo a publicação, o primeiro passo é a delimitação do perímetro da sede da propriedade para controlar o acesso de pessoas, máquinas e implementos. É importante também a utilização de cães para anunciar e intimidar a aproximação de estranhos. Sobre o roubo de defensivos, a cartilha orienta que o produtor se certifique sobre a idoneidade das transportadoras contratadas e controle do número de pessoas que terão acesso aos depósitos e as informações sobre a quantidade e dia de chegada de produtos.

Devido a grande extensão das propriedades do Oeste da Bahia, a utilização de um sistema eficiente de comunicação entre produtores e polícia é fundamental. Além da telefonia fixa, móvel e do sistema de rádio, também entram na lista o aplicativo WhatsApp e o Skype.

A cartilha é gratuita e pode ser adquirida nas sedes da Aiba, Abapa ou no 10° Batalhão da PM, localizado em Barreiras. Ela também está disponível nos seguintes sites das instituições: www.aiba.org.br, www.abapaba.org.br.

Esse conjunto de ações é fundamental para manter a segurança no campo.

3 Comentários

  1. Estrela disse:

    Os bandidos deitam e rolam porque não há policia na rodovia Br.020 e nem tampouco na BR.349. A região oeste não merece ser tratada com desprezo. Estão tratando a infecção com anti térmico. Tem que ir a fundo no problema. E após abril? Oque será de nós.

  2. Zangado disse:

    No próximo concurso da Polícia(civil ou militar) a sociedade da região Oeste tem que exigir que a seleção publica seja regionalizada. Se fizer um balanço dos policiais militares e civis sobre a origem de sua cidade natal ou onde fizeram o concurso os mesmo não estão satisfeitos em ficar a 850km de distancia da sua família. É por isso que a maioria dos policiais fazem o caminho de volta ou trabalham insatisfeito, a sociedade da região Oeste não pode pagar este preço. O grande exemplo aconteceu no Distrito do Rosário, que fica na divisa da Ba X Go, que tinha 07 policiais civis e hoje não tem nenhum policial pois o Posto da Polícia Civil se encontra fechado.

  3. ELEITOR REVOLTADO disse:

    Muito bom para a região e lamentável saber que para que a nossa proteção viesse a existir, a iniciativa privada teve que desembolsar aquilo que desembolsou. Não bastasse os elevados impostos pagos, as péssimas condições das estradas, seja as BAs afastadas dos “eixos que aparecem”, seja as vicinais, que somente são mantidas graças as PPPs celebradas, ainda sobra na conta do produtor, ter que financiar um sistema de defesa, quando deveria receber de forma gratuita essa contraprestação do Estado. Parabéns produtores, assim como renda para região Oeste, vocês agora estão trazendo mais segurança.

Deixe o seu comentário!

JORNAL NOVA FRONTEIRA
Rua 19 de maio, 103 - Centro - BARREIRAS - BAHIA
Fone: (0xx77) 3611-8811 Email: comercial@jornalnovafronteira.com.br