Buscar notícia: Filtrar: período de: até

Santa Rita de Cássia: TJBA anula julgamento que inocentava Igor Azevedo Bomfim, assassino confesso de Mayara Souza Lisboa

Publicada em: 1-/-1/2013

 


Da redação Nova Fronteira

 


O Tribunal de Justiça da Bahia (TJBA), anulou ontem, 13, o julgamento da justiça de Santa Rita de Cássia, região Oeste da Bahia, que tinha absolvido por 4 votos a 3, Igor Azevedo Bonfim, da acusação de ter assassinado sua esposa Mayara Souza Lisboa com sete tiros que atingiram o pescoço e braço da vítima.

 


Quem solicitou a anulação da sentença da justiça de Santa Rita de Cássia foi Ministério Público do Estado da Bahia, através do Promotor Alex Moursa Santos.

 


O crime aconteceu no dia 1º de novembro de 2010 e na época os cerca de 30 mil habitantes da cidade ficaram bastante chocados com o bárbaro crime que abalou a comunidade local. Mayara, na época com 22 anos, foi morta a tiros pelo marido dentro de casa enquanto tomava banho.

 


De acordo com Sonia Lisboa, prima de Mayara, a família está muito Feliz ao saber que esse julgamento foi anulado pelo TJBA. “A meu ver, o TJBA reconheceu a desproporcionalidade da absolvição de um réu confesso e cruel que sempre deixou bem claro não sentir arrependimentos e nem remorso por ter tirado a vida da minha prima”, disse Sonia, afirmando que essa decisão veio para confortar um pouco os corações dos familiares de Mayara despedaçados pela crueldade e covardia do acusado.

 


Ainda segunda a prima de Mayara, a família tem sede por justiça e estão dispostos a fazer o que for preciso para que a justiça cumpra o seu papel e aplique a pena merecida a esse homem. “Em fevereiro assistir ao julgamento dele do início ao fim, senti naquele dia o sofrimento e a dor imensurável de ter que ver as fotos da minha prima nua, caída no chão do banheiro de casa com o cabeça e corpo todo ensanguentado e perfurado de balas. Aquela foi a imagem dela que ficou na minha cabeça e que me atormenta até hoje. Não entendo e nunca  vou entender o que se passou na cabeça daqueles jurados para negarem em seus votos a autoria de um crime confessado pelo próprio réu e não entendo também porque eles negaram que a causa da morte dela tenha sido pelos disparos de arma de fogo”, desabafou a prima.

 


Para Sonia, se Igor não foi o autor dos disparos (mesmo tendo confessado isso na frente dos jurados) e se ela não morreu por causa das balas (mesmo diante do laudo pericial do IML), então quem a matou e qual a causa da morte??? “Os jurados de Santa Rita não estão preparados para julgar, essa é a verdade. Eles se sentem obrigados a votar pela condenação ou pela absolvição de quem mais lhes convém seja por causa da amizade que tem ou que tinham com o réu, seja por causa do parentesco com ele ou com alguém ligado a ele, enfim, tudo contribui para a decisão deles no julgamento menos, o que de fato é apresentado nos autos do processo”, relatou.

 


Familiares de Mayara acreditam que com esse novo julgamento a sociedade de Santa Rita consiga obter uma resposta dura e taxativa capaz de punir com severidade o acusado e evitar que outras famílias sejam destruídas dessa forma.

 


Veja o que foi publicado sobre o assunto:

 

28/02/2013 09:06 - Justiça absolve homem que matou esposa com sete tiros em Santa Rita de Cássia

16/11/2010 13:19 - Autor de crime passional se apresenta na delegacia de Santa Rita de Cássia

05/11/2010 06:36 - Crime passional: mulher é assassinada a tiros pelo marido em Santa Rita de Cássia

 

Voltar | Imprimir