Abapa oferece mais uma edição do Curso de Executor de Aviação Agrícola
  • Compartilhe:

Ascom Abapa

A aviação agrícola é uma ferramenta que auxilia de forma ágil o controle da operação fitossanitária e influencia na manutenção do potencial produtivo no campo. Visando fortalecer a segurança técnica nessas operações a Associação Baiana dos Produtores de Algodão (Abapa), ofereceu entre os dias 06 e 11 de maio, mais uma edição do Curso de Executor de Aviação Agrícola (CEAA). Pelo terceiro ano consecutivo, o treinamento teórico foi realizado no Centro de Treinamento (CT) em Luís Eduardo Magalhães (BA) e a parte prática na ABA Manutenção de Aeronaves, em Barreiras (BA). Nesta turma, os 33 alunos receberam orientações sobre aspectos aerodinâmicos do voo agrícola, técnicas operacionais e fiscalização do uso da aviação, entre outros temas relevantes.

O técnico agrícola Gilberto Recttor participou do curso em outro estado e está atualizando os conhecimentos. “Há muitos anos fiz esse treinamento no Paraná e nesta nova oportunidade, aqui em Luís Eduardo Magalhães, vejo como uma forma de reciclar o que já aprendi porque muitas coisas mudaram até hoje, os produtos, as normas de segurança, as tecnologias, as máquinas, entre outros. As normas estão mais rígidas, temos que nos adequar às novas regras para produzir com segurança e sustentabilidade”, pontuou.

A iniciativa é resultado do convênio entre a Abapa e o Ministério da Agricultura e Pecuária (Mapa), em parceria com as empresas ABA e Sabri – Sabedoria Agrícola, e capacita profissionais que trabalham com aplicação de produtos fitossanitários das aeronaves agrícolas, conforme Instrução Normativa 002/2008, do Mapa. “Aqui na Bahia a gente faz curso que além de atender a obrigatoriedade capacita os profissionais para ir ao campo e fazer uma aplicação bem-feita e com segurança, assim como disponibilizamos gratuitamente softwares e ferramentas que são importantes para o dia a dia tornando a aplicação aérea no estado a mais segura e eficiente do Brasil, visto esse diferencial dos cursos e das pessoas que estamos formando”, destaca o instrutor do curso Henrique Campos.

O gerente do Centro de Treinamento da Abapa, Douglas Fernandes ressalta que apesar de ser uma exigência legal, a capacitação tem uma importância além da obrigatoriedade. “Entendemos a necessidade de termos profissionais qualificados e experientes nas técnicas de aplicação aérea aqui na região, este treinamento oferece aos participantes a segurança necessária para tomar decisões durante o manuseio dos produtos, na calibração e regulagem de uma aeronave, e, portanto, os habilita para executar uma aplicação uniforme e segura”.

Durante as aulas os alunos tiveram acesso a técnicas e ferramentas de última geração, como ao kit que permite a avaliação de faixa, distribuição e caracterização do tamanho de gota, lançado recentemente nos Estados Unidos e ao software gratuito que permite a leitura de deposição em papel cromatográfico. Tecnologias que permitem avaliação com o menor custo possível e incentivam a melhoria da aviação agrícola nacional.

O técnico agrícola Bismarque Almeida, trabalha em uma fazenda de algodão na região de Placas e tem expectativas de melhorias na execução da sua função após concluir o curso. “Estou trabalhando em fazenda pela primeira vez, vi aqui alguns conteúdos que ainda não conhecia e acredito que irão facilitar o trabalho na fazenda como o manuseio do produto de forma correta e colocando em prática o que aprendemos sobre segurança e eficiência. É uma ótima iniciativa da Abapa realizar esse curso para técnicos da região oeste da Bahia trazendo profissionais excelentes para compartilharem experiência e conhecimento”, concluiu.

Jornal Nova Fronteira