Prefeitura de São Desidério destaca Extrativismo Sustentável no Cerrado nas comemorações do Dia do Meio Ambiente

Publicada em 07/06/2017 às 11:47

Texto Ana Lúcia Souza | Fotos Rodney Martins

Como parte da programação do Dia Mundial do Meio Ambiente (celebrado em 05 de junho), a Secretaria Municipal de Meio Ambiente de São Desidério (Semma) realizou em parceria com a Embrapa Cerrados e a Ufob, uma palestra sobre “Extrativismo de frutos do Cerrado”. Realizada na manhã de terça, 06, no Centro Cultural, o evento contou com a presença dos secretários de Meio Ambiente, João Antônio Linhares, e de Agricultura e Desenvolvimento Econômico, Patrícia Rocha, estudantes, professores, integrantes da Brigada de Incêndio do município e moradores de comunidades rurais.

O pesquisador da Embrapa Cerrados, doutor Fernando Rocha, ministrou palestra sobre “Agroextrativismo no Cerrado”. Dentre as principais considerações, ele abordou as boas práticas de manejo de culturas nativas do Cerrado, a exemplo do pequi, cagaita, mangaba e o buriti. De acordo com Fernando, a Embrapa Cerrados fez um estudo sobre o uso de uma série de frutos de espécies com potencial para alimentação, e atualmente se dedica ao uso dessas espécies para recuperação de Área de Preservação Permanente (APP) e área de reserva legal. “Trabalhamos com projetos de domesticação dessas espécies trazendo-as do seu ambiente natural para sistemas de cultivo, porque muitas vezes as pessoas não sabem como plantá-las. Tenho trabalhado com extrativistas e estou interessado em trabalhar com comunidades. Quando o município tiver problemas, temos uma série de publicações e alternativas para recuperação de áreas degradadas e de uso de espécies do Cerrado”, frisou.

Professor da Universidade Federal do Oeste da Bahia (Ufob), Valney Rigonato, relatou sobre atividades desenvolvidas durante a produção de seu livro “Saberes Ambientais do Cerrado”, resultado de um estudo realizado na região de Ponte de Mateus, localizado na zona rural de São Desidério. “Preservar e conservar o Cerrado com valores sócio-culturais dos povos ‘geraizeiros’ é importante para o desenvolvimento local integrado, e apostar no extrativismo, significa também valorizar a diversidade do povo da comunidade”, afirmou o professor.

Foi servido um lanche preparado com frutos do cerrado, como bolo de buriti, suco de maracujá nativo e buriti. “A iniciativa de se tratar esta temática é trazer orientações de como o extrativismo pode ser praticado de forma correta no Cerrado. Um dos gargalos da Semma tem sido trabalhar as formas de produção com sustentabilidade, e por isso, a atividade está incluída no calendário de ações da secretaria”, afirmou o secretário de Meio Ambiente, João Antônio. O assessor técnico da Semma, Vinícius Rocha complementa. “Em São Desidério, o principal bioma é o Cerrado e sabemos que ele é autossustentável. Com o manejo adequado é possível gerar renda e manter as populações tradicionais em suas comunidades de origem”, disse.

O Cerrado é o segundo maior bioma e possui uma rica diversidade vegetal com cerca de 12 mil espécies. Com uma extensão territorial de mais de 15 mil km², o município de São Desidério possui mais de 120 comunidades, sendo quase em sua totalidade inserida no bioma Cerrado. “Conheço a realidade do buriti, mas é sempre importante conhecer mais sobre esse cultivo e as formas corretas para preservar o Cerrado”, disse a professora Ivaneide Batista.

0 Comentários

Deixe o seu comentário!

*

JORNAL NOVA FRONTEIRA
Rua 19 de maio, 103 - Centro - BARREIRAS - BAHIA
Fone: (0xx77) 3611-8811 Email: comercial@jornalnovafronteira.com.br