Fundesis comemora 10 anos semeando a solidariedade no oeste baiano

Publicada em 04/11/2016 às 07:25

fundesis

Ascom Aiba

O Fundo para o Desenvolvimento Integrado e Sustentável da Bahia (Fundesis) comemora, neste mês de novembro, dez anos de fundação. Nessa década de existência, o Fundesis coleciona bons exemplos de solidariedade: 81 projetos financiados, 45 entidades beneficiadas, 13 municípios contemplados e mais de 50 mil vidas transformadas em todo o oeste baiano.

Tudo isso só foi possível graças à parceria entre os produtores rurais associados à Aiba e o Banco do Nordeste, que destina parte do valor das operações de crédito de custeio das lavouras para financiamento destes projetos. Ao todo, o Fundo já investiu mais de R$ 3 milhões nas áreas de saúde, educação, cultura, inclusão social e digital, esporte, preservação ambiental, agricultura sustentável, além de fomentar o empreendedorismo e gerar emprego e renda, proporcionando uma transformação social para milhares de crianças, jovens e idosos em situação de vulnerabilidade.

A Casa de Passagem Aloísio Tanajura, que acolhe crianças e adolescentes em Bom Jesus da Lapa, está prestes a inaugurar a sua sede própria. Há 13 anos funcionando em imóveis alugados, a diretora do lar de menores perdeu as contas de quantas vezes precisou se mudar, por falta de condições de manter a estrutura. Agora, as 25 crianças acolhidas não precisarão mais passar por isso.

“Tínhamos um terreno e o alicerce já pronto, mas não tínhamos condições de erguer nada. Aí tomamos conhecimento do edital do Fundesis e nos inscrevemos. Foi uma felicidade inenarrável quando recebemos o resultado apontando que tínhamos sido beneficiados com R$ 40 mil para construção da nossa casa. O primeiro módulo já está totalmente pronto e tudo com material de qualidade. Esta foi a nossa grande conquista e o Fundesis foi fundamental nesse processo”, disse Regina Tanajura, diretora da entidade por onde já passaram 620 crianças em situação de abandono ou de maus-tratos.

fundesis2

Para a coordenadora do Fundesis, Makena Thomé, este é apenas um dos tantos exemplos que deve ser seguido por outros segmentos da sociedade. “O Fundo extrapolou as nossas expectativas e acabou por se firmar como modelo de cidadania e projeto de transformação social, contribuindo ainda para o desenvolvimento econômico da região”, ressaltou.

O Fundesis também mudou a vida dos portadores de síndrome de down de Santa Rita de Cássia. Antes do apoio do Fundo, a Apae local funcionava apenas como escola. Os familiares buscavam tratamento especializado em Barreiras, viajando de madrugada para garantir vaga em instituições da cidade vizinha. Esta realidade mudou depois da ampla restruturação física que tornou a unidade em centro de referência à socialização e reabilitação dos excepcionais, pois conta com serviços de fisioterapia, além de dispor de uma sala digital, com cadeiras e equipamentos totalmente adaptados às necessidades do seu público.

Além de Bom Jesus da Lapa e Santa Rita de Cássia, outras entidades de Barreiras, Luís Eduardo Magalhães, Angical, Tabocas do Brejo Velho, Correntina, São Desidério, Mansidão, Riachão das Neves, Santa Maria da Vitória, Santana e Baianópolis, também foram contempladas.

O superintendente estadual do Banco do Nordeste na Bahia, Antônio Guimarães Júnior, destacou a importância da parceria entre o Banco do Nordeste e o Fundesis, bem como da contribuição voluntária de cada produtor da região. “A ação conjunta e compartilhada é a prova de que a união pode sim produzir bons frutos, com seriedade e respeito à contribuição de cada um”, afirmou.

fundesis1

Os recursos provêm da contribuição espontânea dos produtores rurais, mas qualquer pessoa, empresa, associação ou cooperativa pode fazer parte dessa corrente do bem e ampliar ainda mais o número de beneficiados. Os interessados devem procurar a coordenação do Fundesis, na sede da Aiba, e se informar sobre as doações. A verba é acompanhada sistematicamente pela coordenação do Conselho Deliberativo do Fundesis, formado por representantes da Aiba e do Banco do Nordeste, que elege os projetos de instituições de cunho social. Cada entidade pode receber o valor máximo de R$ 50 mil.

Ao final, a coordenação do Fundo realiza a prestação de contas financeiras e de impacto social de todo os projetos. Para tanto, os gestores das iniciativas financiadas também recebem orientação e capacitação técnica, graças à parceria com o Sebrae.

0 Comentários

Deixe o seu comentário!

*

JORNAL NOVA FRONTEIRA
Rua 19 de maio, 103 - Centro - BARREIRAS - BAHIA
Fone: (0xx77) 3611-8811 Email: comercial@jornalnovafronteira.com.br