Energia solar fotovoltaica atinge marca histórica de 100 MW de microgeração e minigeração distribuída no Brasil

Publicada em 07/08/2017 às 07:46

 

Thiago Nassa (MTb. 30.914) – Retoque Comunicação

O Brasil acaba de atingir a marca histórica de 100 MW de potência acumulada em sistemas de microgeração e minigeração distribuída solar fotovoltaica instalados em residências, comércios, indústrias, edifícios públicos e na zona rural. Segundo mapeamento da Associação Brasileira de Energia Solar Fotovoltaica (ABSOLAR), a fonte solar fotovoltaica, baseada na conversão direta da radiação solar em energia elétrica de forma renovável, limpa e sustentável, lidera com folga o segmento de microgeração e minigeração distribuída, com 99% das instalações do País.

De acordo com a entidade, o Brasil possui atualmente 12.520 sistemas solares fotovoltaicos conectados à rede, trazendo economia e engajamento ambiental a 13.897 unidades consumidoras, somando mais de R$ 850 milhões em investimentos acumulados desde 2012, distribuídos ao redor de todas as regiões do Brasil.

Atualmente, consumidores residenciais lideram o uso da energia solar fotovoltaica, somando 42% da potência instalada no País, seguidos por empresas dos setores de comércio e serviços (38%), indústrias (11%), poder público (5%) e sistemas localizados na zona rural (3%).

Quando avaliamos o número de sistemas instalados, a liderança dos consumidores residenciais fica ainda mais visível, com 80% dos sistemas instalados em residências, seguido por empresas dos setores de comércio e serviços (15%), indústrias (2%), consumidores rurais (2%) e outros tipos, como consumidores do poder público (1%), serviços públicos (0,2%) e iluminação pública (0,1%).

O presidente executivo da ABSOLAR, Dr. Rodrigo Sauaia, ressalta que o crescimento da microgeração e minigeração distribuída solar fotovoltaica é impulsionado por três fatores principais: a redução de mais de 75% no preço da energia solar fotovoltaica nos últimos 10 anos, o aumento de mais de 50% nas tarifas de energia elétrica nos últimos dois anos e um aumento no protagonismo e na consciência e responsabilidade socioambiental dos consumidores, cada vez mais interessados em economizar dinheiro ajudando simultaneamente a preservação do meio ambiente.

“Celebramos com otimismo este passo histórico para a fonte solar fotovoltaica no Brasil, com a certeza de que teremos um forte crescimento do setor nos próximos anos e décadas. O Brasil possui mais de 81 milhões de unidades consumidoras e um interesse cada vez maior da população, das empresas e também de gestores públicos em aproveitar seus telhados, fachadas e estacionamentos para gerar energia renovável localmente, economizando dinheiro e contribuindo na prática para a construção de um país mais sustentável e com mais empregos renováveis locais e de qualidade”, comemora Sauaia.

*Este conteúdo foi divulgado em primeira mão no Clube de Imprensa.

1 Comentário

  1. Gvitor disse:

    Achei um show , a iluminaçao de praças, com sensor, e placas solares portanto, o custo no brasil ainda é muito caro pela ganancia das empresas nao investirem em qualidade de energia, mais baratas e de melhor qualidade e durabilidade. como profissional em energia eletrica, as conssecionarias de energia ,nao dao nem sequer atençao aos cooperadores no executadores do serviço eletrico, portanto vai ai uma dica porque ,as concessionarias nao tem interesse em investir em profissionais, qualificados, ou um registro na hora de receber um autorizaçao para fazer uma ligaçao para o cliente. todo profissional, deveria ser cadastrado por fazer uma prova , de conhecimento, ai sim muita coisa mudaria, no brasil, inclusive o chamado gato, e os armemgueiros como falam aqui no nordeste brasileiro, obrigado,

Deixe o seu comentário!

*

JORNAL NOVA FRONTEIRA
Rua 19 de maio, 103 - Centro - BARREIRAS - BAHIA
Fone: (0xx77) 3611-8811 Email: comercial@jornalnovafronteira.com.br