Professores de Brejolândia paralisarão atividades na sexta, 03

Publicada em 01/08/2018 às 09:04

Da redação JornalNF, com informações da APLB Brejolândia

Os professores da rede municipal de Brejolândia, Oeste da Bahia, deram um prazo de 72 horas para o Executivo cumprir os acordos firmados no dia 09 de novembro de 2017 e não cumpridos até a presente data.

As concentrações, reuniões e manifestações ocorrerão em diversos locais do Município, com caminhadas pelas ruas da cidade, concentração na sede do Sindicato, na Secretaria de Educação e na Câmara de Vereadores. Após iniciado a paralisação não há previsão de retorno às suas atividades.

A Comissão do Núcleo Sindical da APLB de Brejolândia-Ba, comunica a paralisação dos profissionais da educação do município, tendo em vista a ausência de respostas aos ofícios enviados a secretária municipal de Educação, Talita Morgana de Araújo Jorge, nas datas de 28/11/2017, 22/03/2018, 23/04/2018, 18/06/2018, 27/06/2018 e 20/07/2018.

Entre as pautas do movimento ‘Respeite a Nossa História, estão a quebra de acordo pelo Poder Executivo e Secretaria de Educação, quanto a não definição e implementação do Plano de Cargos e Carreiras, a diminuição da carga horária dos alunos do Ensino Fundamental II, 6º ao 9º ano, retirando uma hora/aula por dia, reduzindo a grade curricular de 5 horas/aula de 50 minutos para 4 horas/aula de 55 minutos. Os professores denunciam que os aluno das comunidades de Santa Luzia e Campestre ficaram 15 dias consecutivos sem aula por falta de ônibus, onde através de ofício a APLB Sindical já pediu um Plano de Atendimento e não houve resposta até o momento. Nas comunidades de Limoeiro e Barrinha, também por falta de transporte escolar, os alunos ficaram 60 dias sem aulas e deixaram de frequentar uma Unidade (o bimestre).

A comissão do Núcleo Sindical da APLB de Brejolândia reclama ainda que nas escolas da sede o transporte que traz os alunos do Sem Terra (Nova Brejolândia) é o mesmo que vai pegar os alunos da Serrolândia, fazendo com que esses alunos cheguem à escola com 30 minutos de atraso e saiam da aula com antecedência, faltando até 30 minutos para o término. Ficando na escola em torno de 03 horas. A comissão denuncia também sobre as faltas dobradas nos funcionários, descontos indevidos e o assédio moral com os funcionários relacionado a assinatura das folhas avulsas, porque o correto é livro de ponto de acordo o Regimento das Unidades Escolares.

O prazo esgotado para definir o Plano de Carreira dos Profissionais em Educação Unificado e a inexistência de auxílio transporte dos profissionais de educação que trabalham longe de sua residência e usam seu transporte para chegar ao trabalho, também fazem parte da pauta de paralisação.

Relembre o que foi publicado sobre o assunto:

03/11/2017
Professor de Brejolândia paralisarão atividades na próxima semana

07/11/2017
Professores de Brejolândia paralisam atividade por três dias

09/11/2017
Brejolândia: Após paralisação dos professores, secretária de educação chama grevistas para dialogar

10/11/2017
Movimento ‘Respeite os profissionais de educação de Brejolândia’ volta pras ruas da cidade

19/02/2018
Professores de Brejolândia boicotam Jornada Pedagógica do município

0 Comentários

Deixe o seu comentário!

JORNAL NOVA FRONTEIRA
Rua 19 de maio, 103 - Centro - BARREIRAS - BAHIA
Fone: (0xx77) 3611-8811 Email: comercial@jornalnovafronteira.com.br