Água de qualidade chega a 12 famílias de São Desidério depois que nascente é recuperada por agricultores e Prefeitura

Publicada em 07/03/2018 às 07:57

 

Ascom Abapa

A manhã da última sexta-feira, 02, vai ficar na memória de ‘seu’ Manoel de Souza, 87 anos, há 50, morador da localidade de Alegre, município de São Desidério, na Bahia. Ele fez questão de acompanhar de perto cada passo dado pelas equipes de brigadistas da Secretaria de Meio Ambiente até a conclusão total, com limpeza e isolamento de uma nascente de rio que fica aos fundos do terreno em que produz mandioca, quiabo, milho e outras culturas, e de onde sempre tirou o sustento para criar os 11 filhos.

Ele conta que a nascente ficava em outra área, há pouco mais de 20 metros da que foi recuperada, porém, desapareceu depois do assoreamento provocado pelo o gado que pisoteou o local levando terra, folhas e lixo, que cobriram a fonte. Agora, toda a área ao redor na nova nascente foi cercada graças ao Projeto de Recuperação de Nascentes, executado por meio de um acordo de cooperação técnica entre a Associação Baiana dos Produtores de Algodão (Abapa), a Associação dos Agricultores e Irrigantes da Bahia (Aiba) e prefeituras da região oeste da Bahia. O aporte financeiro garante aos municípios, recuperar nascentes de rios em situação de risco.

A nascente da localidade de Alegre é a terceira de São Desidério contemplada no projeto, outras 13 ainda serão beneficiadas. Somente naquela comunidade, 12 famílias passarão a contar com água de qualidade, vinda da fonte, agora devidamente isolada com a utilização do método Caxambu, que tem como base, a proteção do veio da água. “Utilizamos barro, cimento e pedras, realizamos a limpeza geral e o isolamento para evitar a entrada de bichos e sujeira. A água é retirada por meio de um cano, armazenada em uma caixa d’agua de onde será distribuída para as casas da localidade”, explicou o secretário de meio ambiente, Joacy Carvalho.

Nesta área não houve necessidade de plantio de mudas de árvores típicas do cerrado, porque o local está bem preservado, apenas a utilização do cercamento e do isolamento do local onde o lençol freático aflora. “O incentivo na recuperação das nascentes, juntamente com a adoção de técnicas de produção sustentáveis, mostra o quanto os agricultores estão preocupados com os rios e com o meio ambiente, é gratificante para nós saber que tanto ‘seu’ Manoel quanto os moradores de Alegre terão mais dignidade com a tão esperada chegada da água em suas casas”, diz o presidente da Abapa, Júlio Cézar Busato. Além de São Desidério, os agricultores começam a negociar a recuperação de nascentes junto aos municípios de Barreiras e Riachão das Neves.

2 Comentários

  1. steff disse:

    Flávio Venturini e Murilo Antunes marcaram presença no famoso, imortal Clube da Esquina de Belô, com suas composições e interpretações belissimas. Nascente (música que marcou presença no famoso clube) me parece uma canção feita para o Dia dos Namorados Vejam: “Clareia Manhã/O sol vai esconder/A clara estrela /Ardente/Pérola do céu refletindo/refletindo teus olhos. Repito, feita para os enamorados Gosto muito da interpretação de Nascente com Belo Guedes. Esses mineiros nos deixam de alma lavada! Venturini, antes de criar o 14 bis passou pela famosa esquina de Belô. Todo azul do mar, de Venturini, é um Hino de Amor, não tenho dúvida Todo Azul do Mar Flávio Venturini Foi assim, como ver o mar A primeira vez que meus olhos se viram no seu olhar Não tive a intenção de me apaixonar Mera distração e já era momento de se gostar Quando eu dei por mim nem tentei fugir Do visgo que me prendeu dentro do seu olhar Quando eu mergulhei no azul do mar Sabia que era amor e vinha pra ficar Daria pra pintar todo azul do céu Dava pra encher o universo da vida que eu quis pra mim Tudo que eu fiz foi me confessar Escravo do seu amor, livre pra amar Quando eu mergulhei fundo nesse olhar Fui dono do mar azul, de todo azul do mar Foi assim, como ver o mar Foi a primeira vez que eu vi o mar Daria pra beber todo azul do mar Onda que vem azul, todo azul do mar Foi a primeira vez no azul do mar Daria pra beber todo azul do mar Foi quando mergulhei no azul do mar professional writing

  2. RICARDO DA SILVA ALCANTARA disse:

    parabens a todos envolvidos neste projeto ambiental,pois boas praticas agricolas aliadas a preservaçao ambiental garantirar a produçao de alimentos para a geraçao atual e futura com justiça social para todos..

Deixe o seu comentário!

*

JORNAL NOVA FRONTEIRA
Rua 19 de maio, 103 - Centro - BARREIRAS - BAHIA
Fone: (0xx77) 3611-8811 Email: comercial@jornalnovafronteira.com.br